“Problematização do conceito “Lifelong Kindergarden”: implicações pedagógicas para a promoção da aprendizagem nos diferentes níveis de ensino”  

Responsável: Paula Pequito 
Equipa de investigadores: (em constituição) 

Desenvolvimento de um projeto de investigação baseado na ideia defendida por Mitchel Resnick “Lifelong Kindergarten: Cultivating Creativity through Projects, Passion, Peers, and Play” e o seu grupo de estudo que defende que a melhor forma de aprender é manter a lógica do jardim de Infância pela vida toda. 

As ideias-chave são:  

Envolver as crianças/alunos a trabalhar em projetos baseados em suas paixões, sempre em colaboração com outros pares, e através do jogo/brincadeira. Nos projetos as crianças estabelecem conexões profundas com as suas próprias ideias. 

  • Com “projetos”, aprende-se todo o processo de criação e elaboração. Aprender como começar com uma ideia e criar algo novo a partir dela, de maneira experimental, partilhando-a com os outros – isso cria envolvência no processo de aprendizagem;  
  • com “paixão”: crianças e adultos estão mais propensos a trabalhar com mais profundidade quando trabalham em coisas pelas quais são apaixonados. Garantir que as crianças terão a oportunidade de trabalhar em coisas mais conectadas com suas paixões. 
  • com “pares”: aprender não é uma atividade solitária; a melhor aprendizagem e o melhor pensamento acontecem em colaboração com outras pessoas, com seus pares, com seus amigos. É na troca que a experiência se enriquece. 
  • com “jogo/brincar”: não necessariamente apenas diversão, mas numa atitude de experimentação constante, tentando coisas novas, arriscando, porque se queremos chegar a novas ideias precisamos experimentar coisas novas. Então, para que as pessoas se sintam confortáveis com experimentação e com riscos, elas têm que pensar em atingir esse espírito de jogador, de brincadeira. “Nós não deixamos de brincar porque ficamos velhos, nós ficamos velhos porque deixamos de brincar”  

“Na Educação de Infância as crianças estão constantemente criando em colaboração e, no processo, elas aprendem coisas importantes. Infelizmente o restante da vida escolar não é assim. É um processo de entrega de informação aos alunos. Mas não precisa ser assim. Podemos usar a abordagem do jardim de infância com estudantes de todas as idades.” 

O projeto pretenderá explicitar e refletir sobre a especificidade da Educação de Infância, ao nível das diferentes dimensões, destacando as competências essenciais para uma aprendizagem ao longo da vida, desocultando as práticas que poderão ser aportadas para outros níveis de educação/ensino, nomeadamente, para o ensino superior. 

Duração: 36 meses 

Parceiros envolvidos: Instituições de Educação de Infância que participaram na construção do Livro Verde